Imagem Conteúdo Iniciativa
  • Tamanho da Letra

  • Versão para imprimir

  • Enviar para um amigo

Educação ambiental e sustentabilidade

A experiência mostra que para mudar o comportamento das pessoas é preciso sensibilizá-las, despertar o sentimento de pertencimento àquela causa e a vontade de querer fazer diferente. No âmbito socioambiental, essa constatação se faz ainda mais evidente. Ensinar uma pessoa a plantar uma árvore é algo simples. Porém, conscientizá-la de que uma simples atitude — como escolher no supermercado somente produtos que tenham destinação ambientalmente responsável — faz toda a diferença no ciclo de sustentabilidade do planeta, este sim é um resultado permanente, uma mudança cultural.

Por isso, o Cultivando Água Boa traçou como eixo de sua atuação, permeando todas as suas ações e projetos, a educação ambiental. Afinal, para que esse grande programa de cuidado com a água se efetive como um movimento pela sustentabilidade, é preciso buscar uma mudança cultural nas comunidades, com novos valores, atitudes e crenças, a serem passadas de geração a geração. Acima de tudo, trabalhar a compreensão dos atores locais de que eles fazem parte de um todo. Cada pequena atitude na comunidade tem consequência na enorme teia que é o meio ambiente, da qual todos fazemos parte.

A inspiração para o trabalho de educação ambiental do Cultivando Água Boa vem da concepção educacional de Paulo Freire, na qual a relação “ação-reflexão” se faz presente em todas as etapas do processo educativo. Ou seja, é o aprender fazendo e o fazer aprendendo. Cada um aprende pelas próprias experiências, tornando-se agente perpetuador desse aprendizado, por meio da troca de informações ou “diálogos dos saberes”. Assim o conhecimento é construído coletivamente, todos participam do processo, seja aprendendo ou ensinando.

Na aplicação prática desse trabalho, as ações são agrupadas em quatro pilares: Educação Ambiental na Bacia Hidrográfica do Paraná 3, que leva o conhecimento às comunidades por meio dos projetos Formação de Educadores Ambientais (FEA), Agenda 21 do Pedaço e Rede de Educação Ambiental Linha Ecológica; Educação Ambiental Corporativa, que promove o conhecimento dentro da própria Itaipu; Educação Ambiental nas Estruturas Educadoras da Itaipu, utilizadas para falar com públicos diversos; e, por fim, a Educomunicação, que é a produção de todos os materiais e documentos educacionais utilizados pelo programa.