Imagem Conteúdo Iniciativa
  • Tamanho da Letra

  • Versão para imprimir

  • Enviar para um amigo

Centro de Saberes e Cuidados Socioambientais da Bacia do Prata

O Centro de Saberes e Cuidados Socioambientais da Bacia do Prata foi constituído a partir de uma série de diálogos entre especialistas em educação ambiental que ocorreram em 2006, quando foi firmado o Acordo de Cooperação Técnica, Científica e Financeira entre o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), Itaipu Binacional e Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI), com a presença do Comitê Intergovernamental Coordenador dos Países da Bacia do Prata (CIC). 

A partir de 2006, ministérios e secretarias do Meio Ambiente da Argentina, Bolívia, Brasil, Paraguai e Uruguai, ministérios da Educação do Brasil e Paraguai, ministério da Agricultura y Ganadería do Paraguai, organizações não governamentais e universidades dos cinco países da Bacia do Prata também passaram a fazer parte da iniciativa.

A missão do Centro é contribuir com ações de educação regional para responder aos desafios socioambientais globais, regionais e locais, em sintonia com documentos planetários, para construir um futuro sustentável no território pratense. 

A principal metodologia do Centro para a divulgação dos saberes ambientais consiste nos Círculos de Aprendizagem Permanente (CAPs). O objetivo é formar cidadãos que vivem na Bacia do Prata, por meio de processos educativos que contemplem os princípios e valores dos documentos planetários para um futuro sustentável. A cada nível, os participantes multiplicam os conhecimentos por meio do efeito mandala. 

O CAP 1 é formado pelo Conselho Diretor, Comitê Gestor, Assessores Técnicos e Secretaria Executiva (20 participantes).

O CAP 2 são gestores e técnicos, representantes de governos, da sociedade civil, da comunicação e das universidades (35 participantes – 7 por país).

O CAP 3 tem formadores e formadoras socioambientais de instituições governamentais, da sociedade civil e de ensino (150 pessoas, 30 por país). O CAP 3 iniciou nos países da Bacia durante o segundo semestre de 2009.

O CAP 4 são comunidades de aprendizagem com saberes, acṍes e produtos de comunicação socioambiental (4.500 pessoas, sendo 900 por país). Previsão de conclusão do processo formativo até o final de 2010.

Ao final do CAP 4, o Centro pretende formar comunidades de aprendizagem que valorizem seus saberes e práticas socioambientais e se capacitando para produzir, com os outros atores sociais, novos saberes e ações sustentáveis da Bacia do Prata.