• Tamanho da Letra

  • Versão para imprimir

  • Enviar para um amigo

NOTICIAS / Educação Ambiental

08.09.2017

Soltura de peixes marca lançamento do Encontros e Caminhos 2017

 O plantio de 1,2 mil mudas de Ipês e a soltura de 10 mil alevinos marcaram, na manhã de terça-feira (5), o lançamento do Projeto Encontros e Caminhos 2017, nos 29 municípios da Bacia do Paraná 3. Até novembro, serão mais de 400 atividades, todas com o propósito de incentivar a comunidade a cuidar do meio ambiente e deixar exemplo às futuras gerações. As atividades fazem parte das Ações Socioambientais apoiadas e incentivadas pela Itaipu Binacional junto aos municípios.
      
Em Foz do Iguaçu, a cerimônia ocorreu às margens do Rio Apepu, na Estrada Velha de Guarapuava, na divisa com os municípios de Santa Terezinha e São Miguel do Iguaçu. “Este ano, queremos mostrar que as divisas não separam, mas unem ações e propósitos. Todas as atividades estão sendo realizadas nas divisas municipais”, explicou Gilmar Secco, assistente do diretor de Coordenação da Itaipu.
Aprendizado e exemplo para as futuras gerações. 
​        
“Durante esses três meses, vamos aprender uns com os outros sobre como despertar na população o hábito de cuidar do meio ambiente, seja fazendo a coleta seletiva ou consumindo de forma consciente”, disse Paulo Squinzani, diretor do Departamento de Meio Ambiente de Santa Terezinha de Itaipu. “Esse é um grande projeto de intercâmbio de boas ações”.
       
Crianças em ação
​       

A soltura de dois mil lambaris – espécie adequada a repovoamento de pequenos rios – e o plantio de 50 árvores na região foram feitos pelas crianças do Grupo Escoteiro Alfa-Ômega, de Santa Terezinha, e do Batalhão da Força Verde-Mirim da Polícia Militar, de Foz do Iguaçu, com ajuda de representantes dos comitês gestores municipais do programa e das prefeituras. 
​        

“Essa é uma atividade importante. Convivemos com a natureza, então precisamos cuidar das plantas e dos animais”, disse Maria Eduarda Ferreira, de 11 anos. A policial-mirim Isabella Tormes, de 11 anos, concordou: “O que será de nós quando formos adultos, se continuarem desmatando e arrancando as árvores? Precisamos cuidar delas e plantar novas”.
​       
Para Adalto de Jesus Medina, técnico do Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) de São Miguel do Iguaçu, a participação das crianças é fundamental. “Vivemos numa comunidade que explora os recursos naturais. Então, preservar e repor o que consumimos é fundamental para continuidade da nossa espécie. É bom que essas crianças pensem assim e ajudem a mudar os hábitos dos adultos”.
     
Programação
​        

Promovido por meio de um convênio entre a Itaipu Binacional e o Conselho dos Municípios Lindeiros, o projeto desenvolverá mais 400 atividades nos 29 municípios, nos próximos três meses. Entre elas estão palestras, expedições ao interior dos municípios; oficinas de cultura, educação e ambiental; rodas de violas e de memórias; mutirões para limpezas de rios; soltura de peixes; plantio de árvores; incentivo à criação de hortas comunitárias; peças teatrais e grafitagem.
       
Em Foz do Iguaçu, serão 12 atividades. A maior delas será a capacitação de 500 professores sobre o tema resíduos sólidos. “Queremos que os nossos professores mostrem aos alunos quão valiosa é boa parte do lixo que é jogado fora. Evitar jogar tudo no aterro sanitário também é cuidar das futuras gerações”, disse Ana Biesek, secretária de Meio Ambiente de Foz.

saiba mais