• Tamanho da Letra

  • Versão para imprimir

  • Enviar para um amigo

Resultados

Os resultados obtidos pelas diversas ações que hoje compõem o projeto Biodiversidade, Nosso Patrimônio são proporcionais às dimensões da Itaipu. Mais de 100 mil hectares de reflorestamento, 44 milhões de árvores plantadas, 10 refúgios e reservas criados e muito mais. 

Além de representar significativa importância para o patrimônio ecológico do nosso país, as ações desenvolvidas contribuem diretamente para a melhoria da qualidade de vida das comunidades que habitam a Bacia do Paraná 3. São diversos benefícios, como a melhoria da qualidade do ar e da água, resultante da recuperação florestal das matas ciliares e da manutenção da expressiva área protegida da Itaipu. Ou a proteção de nascentes e rios, responsáveis pela criação de ambientes propícios ao retorno da fauna local, através da migração ou da reintrodução e o controle biológico de pragas. Ou ainda, a migração de peixes, possibilitada pelo Canal da Piracema, que propicia a melhoria genética do estoque pesqueiro e conseqüente melhoria da qualidade do pescado.

Conheça alguns dos principais resultados obtidos pelas ações do programa na fauna, flora e ictiofauna da Bacia do Paraná 3:

Fauna

• O Criadouro de Animais Silvestres, localizado no Refúgio Bela Vista, já contabilizou a reprodução bem-sucedida de mais de 800 animais, com destaque para o gato-maracajá (Leopardus wiedii), gato-do-mato-pequeno (Leopardus tigrinus), jaguatirica (Leopardus pardalis), veado-bororó (Mazama nana) e cervo-do-pantanal (Blastocerus dichotomus) — espécies raras na região Oeste do Paraná.

• Em função da qualificação da equipe técnica, da estrutura para manejo de animais silvestres e da participação no Comitê para Conservação e Manejo da Arara-azul-de-lear (Anodorhynchus leari), espécie extinta na natureza, a Itaipu foi escolhida para a realização da quarentena de um exemplar dessa espécie. O animal foi cedido pela ONG Association for the Conservation of Threatened Parrots, da Alemanha, para o programa de reprodução em cativeiro no Brasil conduzido pelo Ibama.

• Patrocínio e promoção de uma série de eventos voltados à conservação e manejo da fauna silvestre, com destaque para o curso teórico-prático sobre Atualização em Endocrinologia de Animais Selvagens, ministrado pelas doutoras Janine Brow, do Smithsonian National Zoological Park, dos EUA, Susan Walker, do Chester Zoo, da Inglaterra, e Sarah Putman, dos EUA, em agosto de 2008. 

• Apoio veterinário e operacional a instituições fiscalizadoras e mantenedoras de fauna silvestre na região Oeste do Paraná: Zoológico Bosque Guarani, Parque das Aves Foz Tropicana, Instituto Chico Mendes/Parque Nacional do Iguaçu, Centro de Investigaciones en Animales Selvages (CIASI) — Itaipu/Margem Direita (Paraguai), Zoológico Municipal de Cascavel, Polícia Militar do Paraná e Polícia Federal.

Flora

• Desde 2003 foram produzidos nos viveiros da Itaipu aproximadamente 2,5 milhões de mudas de mais de 65 espécies da flora nativa para recompor as áreas protegidas da Bacia do Paraná 3. A produção das mudas é referência na região, unindo tecnologia aos conceitos de biodiversidade.  

• Mapeadas 1.074 árvores pertencentes a 83 espécies representativas da flora regional e coletados mais de 100 kg de sementes a fim de garantir a viabilidade genética necessária nos trabalhos de recomposição florestal das áreas protegidas onde a Itaipu atua.

• Em 2007, a Itaipu participou da campanha internacional do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), que estabeleceu a meta de plantio de 1 bilhão de árvores naquele ano, em todo o mundo, com o objetivo de combater os efeitos do aquecimento global. Na ocasião, foram plantadas 500 mil árvores na Bacia do Paraná 3. 

• Em 2003 teve início a implantação do Corredor da Biodiversidade Santa Maria, localizado nos municípios de São Miguel do Iguaçu e Santa Terezinha de Itaipu. O projeto permitiu estabelecer uma conexão verde entre a Faixa de Proteção da Itaipu e o Parque Nacional do Iguaçu, cobrindo uma distância de 12 km. Desde então, foram plantadas mais de 70 mil mudas de espécies florestais nativas, além da construção de 74 km de cerca para proteger a mata ciliar. 

• Em função de sua experiência e sua rede de ação nos municípios lindeiros, a Itaipu passou a fazer parte do Comitê Executivo Estadual Mata Viva, da Defesa Civil do Paraná, com a participação de mais de 100 pessoas entre técnicos da Itaipu, representantes das comunidades e órgãos municipais e estaduais, incluindo Corpo de Bombeiros, Instituto Ambiental do Paraná e Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis). O comitê é responsável por editar anualmente o Plano Estadual de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais no Paraná.

Ictiofauna

• Executadas 60 campanhas para avaliação socioeconômica da pesca no reservatório da usina e 25 para monitoramento de ovos e larvas de peixes; 

• implantado o Banco de Germoplasma de peixes, que atualmente contém 650 doses; 

• efetuada a marcação de aproximadamente 15 mil exemplares de peixes para acompanhamento de sua migração; 

• realizadas 232 operações de resgate de peixes nas unidades geradoras, totalizando aproximadamente 2.500 exemplares.