• Tamanho da Letra

  • Versão para imprimir

  • Enviar para um amigo

Coleta Solidária

O lixo produzido pela atividade humana é, sem dúvida, um dos grandes desafios a serem enfrentados pelas atuais e próximas gerações. Para onde destinar as milhares de toneladas de resíduos produzidas diariamente em cada país? No Brasil, de acordo com pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 59% desse material vai parar nos lixões a céu aberto — locais onde o lixo vai se acumulando e o líquido que resulta da sua decomposição vai penetrando o solo, contaminando as águas subterrâneas e os rios e provocando a liberação de gases tóxicos. É nesse ambiente hostil que agem trabalhadores que, na maioria das vezes, são ignorados e excluídos sociais, mas que têm um papel fundamental: coletar e separar os materiais recicláveis. São os catadores de lixo.

Em Foz do Iguaçu, a vida desses trabalhadores começou a mudar a partir de um projeto piloto da Itaipu, que serviu como referência para as administrações municipais da região. O Projeto Coleta Solidária surgiu da busca por uma solução ambientalmente correta para o problema do lixo e socialmente responsável para o trabalho dos catadores de lixo, além da preocupação com a água, o solo e a qualidade de vida daqueles que habitam os municípios da Bacia do Paraná 3.