• Tamanho da Letra

  • Versão para imprimir

  • Enviar para um amigo

Atividades

Para maior eficácia das ações voltadas à conservação dos recursos hídricos, o planejamento e a execução das atividades devem ser estruturados desde as bacias de escalas menores para as maiores. Por isso, a estratégia do programa Gestão por Bacias do Cultivando Água Boa gerencia e executa suas ações a partir das microbacias hidrográficas da Bacia do Paraná 3. 

Todo o trabalho é desenvolvido em parceria com as comunidades. Na prática, a implantação do programa começa pela seleção da microbacia a ser trabalhada, seguida de encontros com as comunidades e seus líderes para sensibilizar e informar sobre o Cultivando Água Boa, e a partir de onde são criados os comitês gestores. Tem início então a dinâmica das Oficinas do Futuro, quando são levantados os problemas e definidas as ações corretivas a serem tomadas. Ao final, é celebrado o Pacto das Águas, um compromisso firmado entre a Itaipu, a Prefeitura e os demais parceiros que farão parte dos projetos a serem desenvolvidos. Todo esse processo é permeado por atividades de educação ambiental que visam a sensibilizar e capacitar as comunidades envolvidas nas ações. 

Nesse contexto, as principais atividades realizadas pelo programa de gestão por bacias são:

• Elaboração do Diagnóstico Ambiental da Microbacia, apontando as necessidades quanto às ações coletivas (práticas mecânicas de conservação de solos, isolamento das áreas de matas ciliares, medidas de saneamento rural) e específicas (correção de passivos ambientais em propriedades rurais); 

• elaboração dos Planos de Controle Ambiental (PCAs) para as propriedades rurais das microbacias;

• diagnóstico dos sistemas de produção; 

• elaboração dos Planos de Desenvolvimento Sustentável da unidade familiar;

• elaboração dos instrumentos legais para a execução física e financeira das atividades;

• execução das ações coletivas; 

• prospecção de recursos para a execução das ações específicas.

Para seu planejamento, execução e monitoramento, as ações do programa estão classificadas em dois grupos: coletivas e individuais. As ações coletivas são realizadas pelos diversos atores sociais, em toda região da microbacia. Já as ações individuais são voltadas para as propriedades rurais, onde o programa oferece suporte e apoio para a execução. 

• Coletivas: reconstituição da mata ciliar (plantio de mudas e instalação de cercas); adequação de estradas; conservação de solo e água; instalação de abastecedouros comunitários; produção de peixes; educação ambiental; corredor da biodiversidade; saneamento da região; coleta solidária; plantas medicinais; comunidades indígenas; monitoramento da qualidade da água; agropecuária sustentável (agricultura orgânica, agricultura familiar, diversificação da produção); distribuição adequada de dejetos e destinação adequada de embalagens de agrotóxicos, entre outras.

• Individuais: elaboração de diagnóstico das necessidades de correção de passivos ambientais; melhorias em pocilgas, estábulos, aviários, etc.; projetos de adequação realizados mediante convênios com as universidades e faculdades da Bacia do Paraná 3.
 
 
O acompanhamento das ações é realizado pelos comitês gestores formados nos encontros das comunidades. Esses gestores são responsáveis por: 

• Fazer o contato com prefeituras municipais, órgãos regionais e demais parceiros; 

• acompanhar a execução das atividades;

• verificar a manutenção e uso das obras efetuadas em anos anteriores;

• orientar, divulgar e sensibilizar as comunidades, principalmente de municípios lindeiros ao reservatório e das áreas de proteção ambiental;

• monitorar as áreas protegidas e definir ações visando a sua preservação;

• planejar, coordenar, orientar e supervisionar as equipes de campo das conveniadas e contratadas da Itaipu que executam os serviços nas áreas protegidas e no Corredor de Biodiversidade.