• Tamanho da Letra

  • Versão para imprimir

  • Enviar para um amigo

Atividades

Todas as ações do projeto Biodiversidade, Nosso Patrimônio visam, acima de tudo, a garantir a perpetuação e a variabilidade genética das espécies de flora e fauna da Bacia do Paraná 3. Dentre as atividades desenvolvidas com esse propósito, destacam-se: 

• Participação na criação do Corredor de Biodiversidade do Rio Paraná, região de interligação entre as áreas protegidas em torno do reservatório do Lago da Itaipu e outras áreas protegidas ao longo da Bacia do Paraná 3 e em outras localidades, como o Parque Nacional do Iguaçu, seu similar argentino e o Parque Nacional de Ilha Grande. O objetivo é, por meio desses corredores, permitir a dispersão de material genéticos das espécies que antes se encontravam em áreas fragmentadas e isoladas. O projeto é desenvolvido em parceria com diversos órgãos e instituições públicas e privadas.

• Formação de um grupo de trabalho para a criação do Corredor de Biodiversidade Trinacional, projeto de conservação transfronteiriço, que visa a interligar as unidades de conservação do Brasil, Paraguai e Argentina e os fragmentos florestais representativos existentes nesses países.

• Intensificação dos trabalhos de pesquisa e monitoramento da ictiofauna, em especial o sistema de transposição de peixes conhecido como Canal da Piracema. Com 10 km de extensão, o canal permite aos peixes migradores chegar às áreas de reprodução acima da usina no período da piracema, a migração reprodutiva, vencendo um desnível de 120 metros entre o Rio Paraná e a superfície do reservatório. 

• Criação do Banco de Germoplasma para animais silvestres e peixes que conservam material genético de uso imediato ou com potencial uso futuro. Também foi realizado trabalho de acompanhamento e divulgação dos dados do Banco de Germoplasma da flora da região.

O programa também realiza importantes ações de acompanhamento das atividades realizadas, monitorando, por exemplo, a quantidade de mudas de essências florestais produzidas e plantadas, o grau de conservação das áreas protegidas, a quantidade de nascimentos de animais silvestres, entre outras informações.  

Em decorrência da abrangência do programa e da sua importância para a comunidade nacional e internacional, sua atuação sempre esteve amparada pelo apoio de importantes parceiros, como institutos de ensino e pesquisa do Brasil e exterior, órgãos públicos municipais, estaduais e federais, ONGs nacionais e internacionais, além da iniciativa privada.